2019!

3.1.20
2019 está a chegar ao fim e se tivesse que escolher uma palavra para o descrever seria sem dúvida: estabilização. Depois de um 2017 com a chegada da Isabel, um 2018 de mudança de cidade, casa, escolas, 2019 foi o ano para usufruir. Mas ainda, assim, espero que 2020 chegue mais calmo. Apesar de já adivinhar grandes desafios profissionais para nós. Mas agora, sobre 2019!


Janeiro: Entrámos no Ano Novo em Paris, depois de uma muito desejada ida à Disneyland Paris.  Foi a primeira viagem que fizemos a 5 e apesar de intensa - como se esperava - foi uma viagem para ficar no nosso livro de memórias. Daquelas que lembramos com saudades de cada vez que falamos nela.


Fevereiro: Acabei uma camisola que é uma espécie de um marco no meu percurso de tricotadeira. Um modelo que criei desde início (e do qual tomei notas!) e que ficou uma daquelas camisolas que me enche de orgulho. Depois desta ganhei coragem para ir fazendo todas as minhas camisolas de raíz.



Março: A propósito do aniversário do André fizemos a nossa primeira viagem a dois desde que somos pais. Foram duas noites em Madrid que souberam a uma semana pelo menos. Escrevi sobre isso e sobre os restaurantes a que fomos aqui.



Abril: Fomos celebrar os 70 anos do Avô Carlos ( e os meus 42 já agora, que fazemos anos com 1 dia de diferença) à Madeira e para os miúdos é a mesma coisa que dizer fomos para o paraíso. Os dias longos passados maioritariamente descalços e em calções é tudo aquilo porque anseiam o ano inteiro. É a felicidade deles nestes dias que me dá a certeza que não se preocupam com "coisas" mas com o poderem desfrutar destes momentos. 

Maio: Marcou o início do bom tempo também em Lisboa e a possibilidade de retomarmos as idas à praia.



Junho: Em Junho fomos passar um fim de semana à Comporta com queridos amigos. Uma coisa boa desta nossa mudança para Lisboa foi podermos voltar a estar com mais frequência com amigos que não víamos antes tantas vezes. Claro que depois ficam as saudades dos que agora estão longe mas é um equilíbrio que temos tentado vir a encontrar. 
Julho: Julho marca o início oficial do Verão dos pés descalços. Tenho ideia de que este Verão mal vestiram roupa interior porque foi sempre a passar de calções de banho para pijama. Foi também neste Verão que tiramos as fraldas à Miss Izzie. Eu que achei que ia ser tão fácil porque " as meninas são tão fáceis!" e porque ela é uma despachada. A expectativa era essa só que não. Para terem uma ideia no último dia antes de deixarmos a nossa casa por este tempo tive que chamar uma empresa para lavar os sofás :) 
Agosto: Conseguimos ter o pai connosco para uns dia no Porto Santo que é o mesmo que dizer, demos ali um saltinho ao paraíso. A possibilidade de ter os amigos por perto e passar uma semana a deitar e a acordar sem horas. Uma maravilha, portanto.
Setembro: Setembro foi o mês em que baptizamos a nossa Isabel. E em que aproveitámos e nos casámos pela Igreja. Uma cerimónia simples mesmo à nossa medida. 
Foi também o mês do aniversário do Joaquim que como sempre não quis festa, apenas ter um amigo em casa para passar o dia. Engraçado ver como por trás do nosso furacão Jackie se esconde um menino envergonhado que não gosta de ser o centro das atenções. O oposto do irmão mais velho :)
Outubro: Conseguimos finalmente terminar a pequena obra de remodelação no nosso logradouro e fazer lá a festa de anos do Manuel. Gosto muito de manter este espírito das festas em casa e com um espaço exterior, ainda que pequeno, tudo fica mais fácil.
Novembro: Em Novembro desfrutamos dos dias calmos. Muito futebol no jardim para os rapazes com os amigos e para nós com os nossos amigos. Aproveitámos o primeiro fim de semana do mês que foi dos longos, para ir a Valpaços o que é sempre um programa vencedor para os miúdos. 

Dezembro: Último mês deste ano em que tudo se foi alinhando. O início foi mais intenso mas terminámos o ano numa velocidade de cruzeiro que é a que gostaríamos de manter o ano todo. A ver se em 2020 conseguimos esse proeza!

Gosto sempre de fazer estes posts anuais ainda que este ano esteja a chegar um bocadinho fora de prazo (em grande parte culpa de uma gripe que quis à força entrar comigo no ano novo mas que felizmente já está de partida:) ).

Se tiverem curiosidade em espreitar aqui estão os ano anteriores! Às vezes nem consigo acreditar que tudo mudou tanto em 8 anos.
2018   //   2017 // 2016 //  2015 // 2014 // 2013 // 2012 //

Um dia para guardar...

20.11.19
Tenho andado sempre com vontade de voltar a este cantinho da Internet a que chamo de meu mas entre uma e outra correria do dia a dia, este regresso tem sido sempre adiado e relegado para a última das tarefas. Queria ter posto neste meu album de memórias imagens do Verão (ainda vou arranjar tempo para isso) e de um ou outro trabalho manual e receita. Vamos ver se consigo voltar à periodicidade em breve. Espero que sim.Mas para já e porque não quero mesmo esquecer estes registos lindos e cheios de emoção da Carina Oliveira partilho um bocadinho do que foi o dia de Baptizado da Isabel. O dia em que resolvemos surpreender os presentes e casar também pela igreja, quase 11 depois de termos casado pelo registo civil. 
A cerimónia foi tudo o que pretendíamos, uma cerimónia simples, com a presença da família e alguns amigos. Uma coisa simples mas o suficiente para celebrarmos o amor, a saúde e o facto de nos termos uns aos outros.
Usei um vestido feito pelas mãos sempre talentosas da Patrícia. Uma daqueles desafios que lhe coloquei à última hora e que ela, uma vez mais, superou maravilhosamente.  Mas ainda mais importante e bonito, estava o vestido que a Isabel usou. O mesmo que eu tinha usado no baptizado da minha prima há mais de 30 anos atrás. Feito pelas mãos da minha mãe com uma perfeição e detalhe que ainda me surpreendem. Com o peito em crochet quase renda, sem um erro que se encontre naquele padrão. Um verdadeiro sonho que espero que volte a ser usado. 
Ontem quando olhava para as fotografias pensava que também as camisolas dos rapazes foram feitas de forma manual na Madeira, os calções - de uma marca portuguesa - foram comprados numa loja de bairro e as sandálias foram todas "herdadas". E por algum motivo isto deixa-me feliz. 

Há muitas coisas que quero guardar na memória mas que sei bem que não vou conseguir. E também por isso escrevo por aqui um bocadinho partilhando espaços do que é a nossa história. Acho que eles um dia vão passar por aqui e ver o que foi - ainda que apenas um suspiro - a sua infância.
Neste dia, como em todos os outros, faltaram as avós. É certo que estão sempre connosco e que neste dia as lembrámos ainda mais mas a verdade é que também chorámos a sua falta. Porque tudo fica incompleto sem elas.
Os miúdos tiveram um dia em cheio. Brincaram até não poder mais e acabaram a tarde com uma luta de água com a mangueira do jardim, já em roupa interior. 
Foi um dia feliz. E a cereja no topo do bolo é saber que para eles também foi. 

Se tiverem curiosidade aqui encontram o Dia do Joaquim e algumas imagens dessa altura do Manuel (um post com fotografias desse dia a caminho porque não pode um dia passar por aqui e não o encontrar!).  

Praia

16.5.19

Está aberta a época balnear e não que eu tivesse dúvidas mas nestas alturas confirmo o que sei: que estes miúdos são miúdos de exterior. Adoram trepar árvores, brincar na rua e ter esta liberdade que o espaço não condiciona.
Vou contar-vos uma coisa: quando nos mudámos para Lisboa eu estava muito preocupada com os Invernos dentro de portas e achei que era uma boa ideia oferecermos-lhes uma playstation para o Natal. Foi o que fizemos. No Natal seguinte vendemo-la. Se a usaram 4 vezes foi muito. Preferem vestir casacos e gorros e ir jogar futebol para o jardim. E assim tem sido.
Claro que quando o tempo melhora tudo é mais fácil e então quando melhora ao ponto de passarmos os dias de fim de semana na praia...é uma espécie de paraíso.
E agora que a Isabel já está a ficar mais crescida e acompanha os irmãos nas brincadeiras e explorações fica tudo ainda mais bonito de se ver. Adoro quando tudo se alinha para estarem os três a brincar connosco a ter a oportunidade de nos sentarmos juntos a observar. Tenho o profundo desejo de ver isto a acontecer durante muitos e muitos anos. 
Boa abertura da época balnear para todos! 
Espero que tenham muitos momentos destes de desfrutar da vida com calma e tranquilidade. Sabe tão bem.

AddThis