12.4.19
Num destes Domingos a Lucianne veio tomar o pequeno-almoço connosco e uma ideia que nunca me tinha ocorrido tornou-se numa recordação que acredito que vai ficar para sempre. As fotografias desta manhã aqui por casa captam tanto do que é o nosso dia a dia e têm um troque real que não é comum ver nas fotografias de família.    (Como os mais novos a disputar o banco)Habitualmente os pequenos-almoços são em casa (não me lembro da última vez que fizemos um fora para dizer a verdade) e apesar de nem sempre todos colaborarem (e ser sempre com todos em pijama! :D) a verdade é que a rotina é mais ou menos esta. Entre as panquecas (que faz o pai) ou os crepes, torradas e ovos ou fatias douradas acabamos por passar as manhãs de fim de semana a desfrutar do tempo sem horas.Se tiverem curiosidade podem ver a sessão completa aqui e aproveitem para espreitar algumas das outras sessões da Lu, igualmente maravilhosas. Fotografias reais e que havemos de guardar para sempre como um registo fiel do que foram estes dias. Não tenho dúvidas de que havemos de voltar a fotografar com a Lu!

Madrid - os 40 e um roteiro

3.4.19
Este ano, para celebrar o aniversário do André (the big 4-0!) resolvemos que era altura de fazermos a primeira viagem a dois em 7 anos. As condicionantes eram várias: tinha que ser perto (era a primeira vez que fazíamos esta ginástica para os deixar com alguém e podia correr mal...), tinha que estar dentro do nosso orçamento, e tínhamos que comer bem. O André escolheu Madrid e lá fomos nós!
Da última vez que lá tinha estado contei um pouco aqui e aqui o que tinha feito. Desta vez voltámos a pedir indicações a um amigo (casado com uma madrilena) e fomos com a maioria das coisas já reservadas para não correr o enorme risco (em Madrid está sempre tudo cheio!) de bater com o nariz na porta.
 
O Hotel em que ficámos não podia ter sido melhor escolhido. Para além de ser fenomenal (afinal só se faz 40 uma vez) era a casa do restaurante Etxeko o que nos valeu uns pequenos almoços maravilhosos que aproveitámos muito bem. Esta coisa de desfrutar de um pequeno almoço a dois é uma verdadeira raridade e apesar de não trocarmos o nosso dia a dia por nada no mundo a verdade é que de vez em quando este silêncio sabe muito bem.
Diz no entanto quem já foi, que um jantar no Etxeko é uma experiência incrível. Nós para já apenas podemos comprovar isso para o pequeno-almoço.
Também experimentámos o Amazónico uma verdadeira selva urbana. Uma espécie de oásis no meio da correria madrilena com comida maravilhosa.
Se gostarem de Sushi este restaurante também é uma dica fantástica. A tempura é qualquer coisa...
O Mercado de San Miguel apesar de ser sempre uma visita simpática para o olhar nunca me parece o melhor sítio para uma refeição. Pelo menos para quem, como nós, quiser uma refeição demorada e sem pressas. Para um mercado prefiro o Mercado de San Antón e, ao fim de semana, não percam o Mercado de la Paz no Bairro de Salamanca. São aqueles mercados em que se encontram mais locais do que turistas o que é sempre um bom indicador de qualidade.
Definitivamente a não perder o Fismuler. Um restaurante que muda a carta mensalmente de forma a ter sempre os produtos da época. São aquelas refeições que dá vontade de voltar já no dia a seguir para experimentar todos os outros pratos da carta...
E estas prateleiras que quero reproduzir em casa?!
(agora só  tenho que aprimorar esta arte das conservas :D)

Espero que gostem destas dicas e que as possam experimentar um destes dias! 

São doughnuts! Finalmente, dizem eles...

20.3.19

Os rapazes já andavam a pedir para provar doughnuts há muito (muito) tempo. Mas a verdade é que os que se vendem por aí embalados não me convencem. Enquanto consegui fui tentando distraí-los do tema mas quando comprei este livro que andava a namorar há meses, achei que se tinham esgotado as desculpas. Também ando sempre à procura de ideias diferentes para pôr nas lancheiras diariamente e estas soluções são boas porque também dão bem para congelar para ir safando aquelas semanas mais complicadas.
 
Confesso que achei todo o processo mais simples do que estava à espera. A parte mais chata é fritar com certeza. Ainda para mais para quem - como eu - não costuma fazê-lo. Mas a verdade é que não é nenhum bicho de sete cabeças e se eu consegui, qualquer um consegue.
Vamos à receita do New York Cult Recipes
Para cerca de 20 doughnuts:
70g óleo de coco derretido
350 ml leite (usei leite gordo)
820g farinha (usei farinha tipo 55)
3 colheres de fermento de padeiro 
100g de açúcar fino
2 ovos
1 gema
1 colher de chá de extrato de baunilha
1 colher de chá de sal

Modo de fazer:
1. Juntar o oleo de coco com o leite
2. Juntar a farinha com o açúcar e fermento
3. juntar os ovos com a baunilha e sal
4. Combinar todas as misturas e amassar bem até a massa ficar elástica.
5. Cobrir com película e deixar levedar por 1h30 ou até duplicar o tamanho
6. Levar ao frigorífico por, pelo menos, 3h.
7. Fazer um rolo com a massa e cortar pequenos e formar bolas. Fazer um buraco ao centro (eu usei uma tampa de iogurte líquido depois de muito procurar. Era o que tinha a dimensão que eu precisava)
8. Polvilhar os doughnuts com farinha, cobrir com a película aderente (e eu ainda coloquei uma toalha em cima) e deixar dobrar o tamanho.
9. Aquecer uma panela com óleo (dependendo do tamanho da panela vão precisar de mais ou menos óleo). Para saber que está a uma boa temperatura para fritas coloque um bocadinho de pão que deve ficar dourado em cerca de 15 segundos.
10. Fritar os doughnuts durante cerca de 2 minutos de cada lado e depois deixe-os a arrefecer numa grelha (eu uso os tabuleiros do forno).
11. Se quiserem podem usar cobertura eu usei a de mel: 100g de açúcar em pó, 40g de manteiga derretida, 1 colher de chá de mel, 1 colher de chá de água quente e 1/2 colher de chá de extrato de baunilha. Misturar tudo e depois mergulhar os doughnuts num dos lados nesta mistura.
O que vos posso assegurar é que estes doughnuts ficaram maravilhosos. Não vejo grande possibilidade de falha com esta receita e acho que se experimentarem vão verificar isso mesmo. Os miúdos adoraram. Não apenas a ideia de finalmente comerem doughnuts mas sobretudo pelo facto de serem mesmo, mesmo bons. Para mim, esta experiência deu-me coragem para finalmente experimentar umas malassadas de pão,. receita da mãe de uma amiga minha. E acho que vai ser já na próxima semana!

Primavera

18.3.19

A Primavera chegou. Que maravilha e que saudades tínhamos destes dias mais quentes. Nada fica efectivamente mais fácil mas a verdade é que parece mesmo que sim. E os miúdos ficam mais felizes.  Mesmo que para eles a felicidade seja pegar na bola de futebol, combinar com os amigos e ir para o jardim jogar. 


Ainda assim, no fim de semana, conseguimos convencê-los a aproveitar o sol e ir passar o dia perto do mar. É engraçado ver como - à parte do futebol e dos legos - as brincadeiras são cíclicas. Por aqui, voltamos aos Beyblades e eles levam-nos  para todo o lado e tudo ser torna numa arena cheia de armadilhas.
A Isabel, aqui apanhada a reclamar de alguma coisa. Provavelmente do facto de eu lhe estar a tirar uma fotografia, coisa de que não gosta muito :) 
Claro que o mais difícil foi explicar-lhes que não tínhamos ido munidos de fatos de banho. Mas ficou prometido que para a próxima não falha. Afinal de contas o Verão está ali ao virar da esquina e mal podemos esperar por aqueles dias passados de pés descalços, sem camisas e de calções. Exatamente como eles gostam.

AddThis