Praia

16.5.19

Está aberta a época balnear e não que eu tivesse dúvidas mas nestas alturas confirmo o que sei: que estes miúdos são miúdos de exterior. Adoram trepar árvores, brincar na rua e ter esta liberdade que o espaço não condiciona.
Vou contar-vos uma coisa: quando nos mudámos para Lisboa eu estava muito preocupada com os Invernos dentro de portas e achei que era uma boa ideia oferecermos-lhes uma playstation para o Natal. Foi o que fizemos. No Natal seguinte vendemo-la. Se a usaram 4 vezes foi muito. Preferem vestir casacos e gorros e ir jogar futebol para o jardim. E assim tem sido.
Claro que quando o tempo melhora tudo é mais fácil e então quando melhora ao ponto de passarmos os dias de fim de semana na praia...é uma espécie de paraíso.
E agora que a Isabel já está a ficar mais crescida e acompanha os irmãos nas brincadeiras e explorações fica tudo ainda mais bonito de se ver. Adoro quando tudo se alinha para estarem os três a brincar connosco a ter a oportunidade de nos sentarmos juntos a observar. Tenho o profundo desejo de ver isto a acontecer durante muitos e muitos anos. 
Boa abertura da época balnear para todos! 
Espero que tenham muitos momentos destes de desfrutar da vida com calma e tranquilidade. Sabe tão bem.

Dia da mãe

7.5.19

Este foi o meu sétimo dia da mãe. Não sei bem como o tempo voou e como tanto mudou desde que comecei esta caminhada. Foram eles crescendo e mudando. fui-me eu adaptando enquanto mãe, nós todos enquanto família. E o mundo entretanto foi girando e continuando também ele a mudar. 
Encontrei os posts do lado B da maternidade e o dos outros lados que entretanto descobri dois anos depois. A minha vida mudou um bocadinho. Compreendo agora quando me diziam que à medida que crescem os desafios são outros. E às vezes deixam-me sem saber bem que caminho seguir. Seria tão mais fácil se soubessemos qual o botão para ter o efeito que queremos. Fazes uma visita ao futuro para perceber se o que achamos que deve ser feito vai ter o tal resultado. Mas na verdade não faço ideia. É uma espécie de "fecha os olhos, dá o teu melhor e tem esperança que resulte". 
Como é que se estimula uma criança para aprender? Como é que se explica o que é o bem e o mal? O certo e o errado? A honestidade e lealdade? 
Acredito que é pelo exemplo. Que devemos ser o que queremos que eles vejam e venham a ser. Mas será que é isso que eles veem quando olham para nós? Às vezes tenho medo da resposta. Tenho medo que só vejam uma mãe exausta que tentar acudir a todos os fogos. 
Por isso, tentamos dar-lhes liberdade para escolher e sobretudo liberdade para pensar. 
Espero que assim consigam encontrar o seu melhor caminho e que nele, encontrem a felicidade dos dias com todos os socalcos que lhe são inerentes. 

E por tudo isto, naturalmente que no dia da Mãe, fizemos um programa para eles. Praia, mergulhos, futebol e brincadeiras na areia. Acho que no olhar deles não deve haver muito melhor que isto.
12.4.19
Num destes Domingos a Lucianne veio tomar o pequeno-almoço connosco e uma ideia que nunca me tinha ocorrido tornou-se numa recordação que acredito que vai ficar para sempre. As fotografias desta manhã aqui por casa captam tanto do que é o nosso dia a dia e têm um troque real que não é comum ver nas fotografias de família.    (Como os mais novos a disputar o banco)Habitualmente os pequenos-almoços são em casa (não me lembro da última vez que fizemos um fora para dizer a verdade) e apesar de nem sempre todos colaborarem (e ser sempre com todos em pijama! :D) a verdade é que a rotina é mais ou menos esta. Entre as panquecas (que faz o pai) ou os crepes, torradas e ovos ou fatias douradas acabamos por passar as manhãs de fim de semana a desfrutar do tempo sem horas.Se tiverem curiosidade podem ver a sessão completa aqui e aproveitem para espreitar algumas das outras sessões da Lu, igualmente maravilhosas. Fotografias reais e que havemos de guardar para sempre como um registo fiel do que foram estes dias. Não tenho dúvidas de que havemos de voltar a fotografar com a Lu!

Madrid - os 40 e um roteiro

3.4.19
Este ano, para celebrar o aniversário do André (the big 4-0!) resolvemos que era altura de fazermos a primeira viagem a dois em 7 anos. As condicionantes eram várias: tinha que ser perto (era a primeira vez que fazíamos esta ginástica para os deixar com alguém e podia correr mal...), tinha que estar dentro do nosso orçamento, e tínhamos que comer bem. O André escolheu Madrid e lá fomos nós!
Da última vez que lá tinha estado contei um pouco aqui e aqui o que tinha feito. Desta vez voltámos a pedir indicações a um amigo (casado com uma madrilena) e fomos com a maioria das coisas já reservadas para não correr o enorme risco (em Madrid está sempre tudo cheio!) de bater com o nariz na porta.
 
O Hotel em que ficámos não podia ter sido melhor escolhido. Para além de ser fenomenal (afinal só se faz 40 uma vez) era a casa do restaurante Etxeko o que nos valeu uns pequenos almoços maravilhosos que aproveitámos muito bem. Esta coisa de desfrutar de um pequeno almoço a dois é uma verdadeira raridade e apesar de não trocarmos o nosso dia a dia por nada no mundo a verdade é que de vez em quando este silêncio sabe muito bem.
Diz no entanto quem já foi, que um jantar no Etxeko é uma experiência incrível. Nós para já apenas podemos comprovar isso para o pequeno-almoço.
Também experimentámos o Amazónico uma verdadeira selva urbana. Uma espécie de oásis no meio da correria madrilena com comida maravilhosa.
Se gostarem de Sushi este restaurante também é uma dica fantástica. A tempura é qualquer coisa...
O Mercado de San Miguel apesar de ser sempre uma visita simpática para o olhar nunca me parece o melhor sítio para uma refeição. Pelo menos para quem, como nós, quiser uma refeição demorada e sem pressas. Para um mercado prefiro o Mercado de San Antón e, ao fim de semana, não percam o Mercado de la Paz no Bairro de Salamanca. São aqueles mercados em que se encontram mais locais do que turistas o que é sempre um bom indicador de qualidade.
Definitivamente a não perder o Fismuler. Um restaurante que muda a carta mensalmente de forma a ter sempre os produtos da época. São aquelas refeições que dá vontade de voltar já no dia a seguir para experimentar todos os outros pratos da carta...
E estas prateleiras que quero reproduzir em casa?!
(agora só  tenho que aprimorar esta arte das conservas :D)

Espero que gostem destas dicas e que as possam experimentar um destes dias! 

AddThis