2018...

7.1.19

Estou quase certa de que começo todos os meus posts anuais a dizer que não sei bem como é que este ano passou tão rápido mas a verdade é que é mesmo o que tem acontecido. Mesmo que 2018 não tenha sido um ano particularmente leve. Não foi também um mau ano, antes pelo contrário, mas foi um ano de muito trabalho, mudanças e adaptação. 
Começámos Janeiro com o final da obra de renovação de outra das nossas casas da Funchal Seaside Villas, aquela a que tínhamos chamado de casa durante mais de 10 anos. 
Em Fevereiro a miúda cá de casa fez um ano e começou a mostrar que está aqui para as curvas e para acompanhar os irmãos nas suas aventuras. 
Em Março (dia 8) a Isabel deu os primeiros passos e celebrámos os anos do pai num fim de semana prolongado num hotel com piscina aquecida que nos aqueceu os corações (especialmente os dos miúdos) depois do Inverno de Lisboa (por comparação ao Inverno da Madeira a que estavam habituados).
Em Abril o sol voltou a começar a brilhar, eu celebrei mais um aniversário e o nosso Manuel começou a dar mostras de estar perfeitamente integrado nas novas rotinas e cidade.
Em Maio demos o primeiro mergulho do ano num dia que nos soube a paraíso. Rumámos a Sesimbra onde passámos uma manhã na praia e onde depois almoçámos um peixe na grelha que nos levou numa espécie de regresso a casa.

Neste ano entretive-me muitas noites entre as agulhas de tricot e em Junho terminei este colete que me encheu as medidas e em que arrisquei uma criação totalmente minha.


Em Julho aproveitámos um baptizado em perto de Coimbra para levar os miúdos à sua estreia no Portugal dos Pequenitos. Para mim, que nasci em Coimbra e que lá fui muitas vezes na idade deles, foi uma espécie de regresso a casa e adorei despertar memórias que tinha de algumas das casas e espaços.


Em Agosto passámos, como habitualmente, uns dias no Porto Santo e continua a ser o destino de eleição dos miúdos. Foi o primeiro ano em que a Isabel realmente desfrutou da praia e em que embarcou  nas primeiras aventuras com os irmãos.

Em Setembro (e como passei muito tempo com os meus filhos na Madeira) fui à descoberta das caixas (e caixas e caixas) de fios da minha mãe e fiz esta camisola para mim usando os restos de fios que a minha mãe tinha usado para fazer uns bonecos para o Manuel. Setembro foi também mês de recomeços, de regressarmos a Lisboa (depois de 2 meses no Funchal) e de voltarem à escola.

Outubro marca o final da obra de renovação da nossa casa e a tão ansiada mudança (tínhamos passado um ano no apartamento dos meus pais em Lisboa. Foi um dos momentos mais felizes de que temos memória e uma espécie de recomeço em família nesta que é a primeira casa que idealizamos para nós.

Novembro foi uma espécie de mês estabilizador para nós. Com a mudança feita aproveitámos para receber família e amigos e passar o maior tempo possível em casa.


Em Dezembro embarcamos na primeira viagem a 5 e fomos passar o fim do ano a Paris e à Disneyland. Os miúdos adoraram e apesar do (óbvio) cansaço que uma viagem destas com crianças implica, mal podemos esperar pela próxima!


E assim chegámos ao fim de 2018 na certeza que demos o nosso melhor.
Para este ano de 2019 quero manter uma espécie de velocidade cruzeiro em grandes promessas ou resoluções. Quero continuar a tentar encontrar mais tempo no tempo para ajudar os meus filhos a crescer tarefa que me tenho vindo a aperceber que nem sempre é fácil e que tantas vezes esconde mais desafios do que aqueles que eu imaginava.
E quero continuar a ter tempo para partilhar o que faço por aqui. Os cozinhados, os projetos de tricot, os desafios. Já o faço desde 2012 e por isso este é já o sétimo post com este balanço anual (!!) (2017  // 2016 // 2015 // 2014 // 2013 // 2012) Para esse lado desejo que 2019 seja recheado com a concretização dos vossos maiores desejos!

AddThis